Domingo, 21 de Outubro de 2018  
 
HOME
FALE CONOSCO
CONCURSO ECOLOGICO 2013
PEÇA sua muda-PROJETO ÁRVORE CIDADÃ
ABAIXO ASSINADOS
ACESSA VÍDEOS CDPEMA
Acessa vídeos- natureza
ADOTAR: 1 Criança, 1 Idoso
AGENDA SOCIAL/AMBIENTAL 2013
FILIE-SE NA CDPEMA
Cadastro de Curriculuns
Doação de Animais-BRASIL
CONSEMA
CURSOS
INFORMES 1
INFORMES 2
INFORMES 3
INFORMES 4
Legislação
Moto Cross da SUSTENTABILIDADE-2011
Patrocinadores
Projetos
Unidades da CDPEMA
Utilidade Pública
Notícias
Galeria de Fotos
Interação
» Home   » Notícias   » Informes
Notícias | Informes
21/08/2010 - SAFADEZA AMBIENTAL e FALSAS ONGs
Falsos Ambientalistas e espertalhões em busca de recursos públicos

Greenwashing ou safadeza ambiental ?

Há 25 anos eu era maluco o suficiente para querer viver à custa de despoluir o mundo, plantar árvores e coisas do gênero, quando isto era no máximo uma brincadeira de fim de semana. Agora parece que todos não fazem outra coisa. Na falta de argumento melhor, a pessoa se diz um grande ambientalista porque sua tia tem uma horta cercada de garrafas PET. Infelizmente, este caso não saiu da minha imaginação.

As empresas não estão muito longe disto, afinal são feitas e cuidadas por pessoas. Ontem vi um saquinho de papel feito com fibras 100% recicláveis, da mesma forma que todos que compram cartões de loteria são "milionariáveis". Qualquer matéria prima é reciclável, mas exige trabalho e criatividade.

A última moda agora é comprar uma ONG para dizer que aquele produto é "legal". ONGs, que também são feitas e cuidadas por pessoas, estão à venda, algumas são até uma barganha porque todas, até a mais respeitável, tem custos fixos e estão dispostas a conversar com o diabo para dar conta deles. E o diabo pode propor, por exemplo imprimir algo como " A ONG Paz e Amor certifica que somos uma empresa amiga do verde".

Desconfie principalmente do palavrório genérico. Caçadores de marcianos são amigos de verdinhos, investidores gostam das notas verdes e os fãs da mulher melancia também são amigos do verde. Procure por termos como "Este produto é feito com X% de material reciclado", ou ainda melhor: "reutilizado".

Greenwashing é o jargão internacional para esta conversa desprovida de conteúdo, e não é novo. A Vale já fazia isto há décadas, mas com o aumento do interesse de seus compradores sobre a origem do produto, migraram da conversa para a realidade em vários aspectos ainda que não em todos. Por isso, é um tanto infantil, mas ainda assim positivo que as misses agora tenham que abraçar uma causa ambiental, e não falo isso pelos vários colegas animados com a possibilidade de trocarem abraços das árvore pelos braços de uma miss. Dando o devido tempo de amadurecimento, o discurso infantil torna-se adulto e verdadeiro.

O verdadeiro problema que se esconde atrás do marketing ambiental é que se ele for realmente verdadeiro, terá de dizer que a opção mais ambiental de todas é não comprá-lo. Reciclar e reutilizar são somente alternativas para quando não for possível reduzir. Ainda melhor que comprar o produto reciclado, certificado e abençoado é reduzir suas necessidades de modo a não compra-lo.

Da próxima vez que for ao supermercado, leia com atenção e desconfie de alguém cuja melhor história para contar é "- Sou um "milionariável".

______________________________________________________

Efraim Rodrigues, Ph.D. (efraim@efraim.com.br) é Doutor pela Universidade de Harvard, Professor Associado de Recursos Naturais da Universidade Estadual de  Londrina, consultor do programa FODEPAL da FAO-ONU, autor dos livros Biologia da Conservação e Histórias Impublicáveis sobre trabalhos acadêmicos e seus autores. Nos fins de semana ajuda escolas do Vale do Paraíba-SP, Brasília-DF, Curitiba e Londrina-PR a transformar lixo de cozinha em adubo orgânico e a coletar água da chuva.

 Veja colunas anteriores em http://ambienteporinteiro-efraim.blogspot.com/

Autor / Fonte: Efraim Rodrigues
« voltar
 
     
 
© 2010 C.D.P.E.M.A. - Todos os direitos reservados
Melhor visualizado em 1024px / 768px
Desenvolvido por:
MWAY - Soluções Dinâmicas Web
& MarkCerto