Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019  
 
HOME
FALE CONOSCO
CONCURSO ECOLOGICO 2013
PEÇA sua muda-PROJETO ÁRVORE CIDADÃ
ABAIXO ASSINADOS
ACESSA VÍDEOS CDPEMA
Acessa vídeos- natureza
ADOTAR: 1 Criança, 1 Idoso
AGENDA SOCIAL/AMBIENTAL 2013
FILIE-SE NA CDPEMA
Cadastro de Curriculuns
Doação de Animais-BRASIL
CONSEMA
CURSOS
INFORMES 1
INFORMES 2
INFORMES 3
INFORMES 4
Legislação
Moto Cross da SUSTENTABILIDADE-2011
Patrocinadores
Projetos
Unidades da CDPEMA
Utilidade Pública
Notícias
Galeria de Fotos
Interação
» Home   » Notícias   » Cidades -meio urbano e rural
Notícias | Cidades -meio urbano e rural
11/09/2010 - NOSSAS CIDADES
14/09/2010 Aniversário de Presidenrte Prudente- 93 anos-

O Jornal OESTE NOTICIAS está produzindo uma série de reportagens especiais, em comemoração aos 93 anos da cidade de Prudente e, entre os temas abordados, está o meio ambiente. Sendo assim, apresentou à ONG CDPEMA alguns questionamentos para que esta fizesse suas considerações sobre este setor. Nosso objetivo é recordar como a cidade era em sua fundação, em termos ambientais e como está hoje, além de traçar uma perspectiva sobre o futuro, uma vez que a cidade se aproxima de seu primeiro centenário...

Entre as questões foi formulado o que segue;
 
Como era o meio ambiente na época da fundação da cidade de Prudente?
Como está o meio ambiente hoje?
Como a cidade deve chegar ambientalmente aos 100 anos?
Por que a cidade demorou tanto tempo para ter seu esgoto tratado?
Por que a cidade ainda não conta com um aterro sanitário? Quais os prejuízos que o lixão causa ao meio ambiente?
Qual a situação dos rios que abastecem a cidade?
Como o senhor avalia a atual situação do Balneário da Amizade? Por que sua reestruturação nunca sai do papel? Quais as dificuldades? Quais as soluções?
O que mudou (melhorou) e o que ainda precisa melhorar para que Prudente se ambientalmente correta?
Amanda Simões
Repórter - Jornal Oeste Notícias
(18) 3229-0300 / 3229-0332

 

RESPOSTAS:

 

Como era o meio ambiente na época da fundação da cidade de Prudente?

Resp. Presidente Prudente como toda cidade que se abre ou se cria, iniciou-se do nada em meios aos bosques e matas que a cercara. Assim foi o inicio de Pres Prudente. Ainda havia muita mata e grandes áreas verdes no entorno da cidade e na própria cidade, a exemplo da parte oeste da cidade, no sentido da Av Manoel Goulart em direção ao Museu.

Em torno de 30/35 anos atrás, onde hoje é o Prudenshoping, era um imenso buracão ( fundo de vale), com alguma vegetação, bambus e praticamente era o fim da cidade. Hoje vemos como está, um grande mercado, outro já pronto e mais um em construção sendo o local um elo de ligação com as cidades do oeste paulista e alta paulista, além de representar o portão de crescimento da cidade.

Havia um meio ambiente mais completo e ele era mais respeitado do que hoje.


Como está o meio ambiente hoje?

Resp. Atualmente o nosso meio ambiente da cidade e região, além de não mais ser o mesmo, por questões lógicas em face do crescimento da cidade, ainda conta com o total desrespeito das pessoas, que somente pensam no imediato, cortam, destroem, poluem, matam, queimam e não pensam no futuro.

 

Como a cidade deve chegar ambientalmente aos 100 anos?

Resp. Falta pouco, apenas 7 anos para chegarmos lá, mas devemos nos galgar em propostas de desenvolvimento que de fato consiga unir o progresso com o sustentável, e não apenas por ser ou estar na moda o tal de desenvolvimento sustentável, mas por ter que fazer parte de forma impreterível de todo plano diretor de qualquer cidade e de todo bom planejamento de efetivação de políticas públicas saudáveis, que consiga levar a todos os segmentos da cidade, o bem estar entre homem e natureza.


Por que a cidade demorou tanto tempo para ter seu esgoto tratado?

Resp. Por simples falta de cobrança de todos, e não apenas por questões financeiras ou de falta de um bom planejamento, pois modelos e exemplos de outras cidades, já existiam há pelo menos uns 30 anos, e tanto os governos que passaram pela prefeitura como a própria população deixaram de cobrar com maior intensidade e até mesmo legalmente a empresa que cuida do saneamento básico da cidade, pois pelo menos é sabido que esta sempre cobrou pela taxa de esgoto nas contas, mas não se sabia o que era feito com tal dinheiro.


Por que a cidade ainda não conta com um aterro sanitário? Quais os prejuízos que o lixão causa ao meio ambiente?

Resp. a cidade já possui seu projeto do aterro, mas está aguardando aprovação final dos órgãos governamentais para poder entrar em implantação e execução final. E enquanto isso não ocorre, temos que conviver com o lixão, que infelizmente é o grande mal das cidades do pais.

O lixão trás prejuízos em todos os sentidos, tanto em relação ao ar, como e principalmente em relação ao solo, que acaba sendo tendo lençol freático e todo um sistema de abastecimento de água subterrânea, prejudicado ou contaminado ou correndo grande risco de se perder pela contaminação. E isso quem sofre as conseqüências é a população, que também tem grande parcela de culpa, que não sabem ou não recebem instrução, educação e ao menos informação de como fazer um trabalho de reciclagem de todo lixo que cada pessoa gera. E isso ao longo de 93 anos, somente aumenta cada vez mais os problemas enquanto a solução não chega.

 

Qual a situação dos rios que abastecem a cidade?

Resp. é lastimável, se falarmos no Rio Santo Anastácio, e de certa forma deplorável em termos dos outros rios como o Rio do Peixe, de onde a empresa responsável pelo abastecimento da água, ainda vai buscar a água que chega as torneiras do prudentino e de muitas outras cidades da região, além de parte dela ser obtida em poços artesianos;

Há um descaso quase que total em relação a rios. Pouco se faz em matéria de se preservar as matas ciliares, há pouca fiscalização e pouca cobrança da exigência legal de se manter essa, e ainda se permitem que até mesmo canaviais cheguem as beira do rio, no lugar da mata que ali deveria existir, isso é deplorável.

 


Como o senhor avalia a atual situação do Balneário da Amizade? Por que sua reestruturação nunca sai do papel? Quais as dificuldades? Quais as soluções?

Resp. O Balneário da Amizade, abandonado há praticamente 23/25 anos, é a nosso ver, um descaso das autoridades local, pois pouco ou quase nada se tem feito para reativa-lo. Parece-nos que tal assunto é mais político do que social, pois todos os governos e vereadores que já passaram nessas ultimas 5 legislaturas, isso inclui os atuais, demonstram não ter muito interesse em tornar o balneário um centro de lazer para a população como ele fora antes, onde funcionava uma estrutura de lazer e recreação e que concentrava um quantidade razoável de pessoas da cidade e região.

Finalmente no atual governo municipal, os planos e projetos estão saindo do papel. Mas mesmo assim, com alguns pontos falhos ao nosso ver, pois o que está sendo feito, é apenas um trabalho de asfaltamento e de colocação de calçadas no entorno de parte do Balneário ( lado de Presidente Prudente), para que as pessoas possam caminhar e andar de bicicleta, ficando assim o balneário em si, que é a água, ainda renegando a um segundo plano que sabe-se lá quando vai ser implantado e quando vai ser discutido com a população.

As dificuldades a nosso ver está na boa vontade política dos governantes, incluindo-se os dois prefeitos, o de Pres Prudente e de Álvares Machado e respectivos vereadores, e acima de tudo da própria população que deixa de cobrar por algo que tanto precisa e que discute aos quatro cantos, mas não reivindica de forma direta como a entidade tem feito, quando já por duas vezes, colheu abaixo assinados da população e entregou aos prefeitos de gestões anteriores.

As soluções estão sendo implantadas, mesmo que de forma gradativa, com o asfalto, com a calçada, com a posterior abertura a população para fazer uso do que for ficar disponível, mas ainda carecedora de melhoras naquilo que tanto se almeja, que é a liberação da água para banho e esporte náutico.


O que mudou (melhorou) e o que ainda precisa melhorar para que Prudente se ambientalmente correta?

Resp. A cidade já pode ser considera uma cidade ambientalmente correta, devendo ter apenas alguns pontos a serem atacados, como a questão do lixão, do saneamento que embora tenha seu esgoto tratado, ainda se vê cortada por um córrego, que ainda continua recebendo esgoto in natura e causando mal cheiro em determinado trechos de seu leito, que corta toda a cidade passando por alguns bairros que em determinadas épocas do ano, como no verão, torna o ar insuportável.

Falta ainda o respeito por parte do munícipe quanto ao destino do lixo, quanto a reciclagem do lixo gerado e acima de tudo do respeito ao próximo, pois as pessoas ainda continuam jogando lixo no terreno ao lado por ser mais cômodo e pratico, mesmo que dias depois esta mesma pessoa venha a sofrer as conseqüências, seja com insetos, com baratas e ratos, com mal cheiro e acima de tudo, com a feiúra do lugar que fica parecendo mais um lixão do que uma rua bem cuidada como tem sido a preocupação das autoridades.

Para atingirmos um grau maior e assim chegarmos próximo ou até mesmo ao nível indicado pela ONU em termos de sermos uma cidade ambientalmente correta, teremos que plantar mais arvores, cuidar mais da cidade, das pessoas idosas, das crianças e acima de tudo de nossos animais, sejam os silvestres que ainda sobrevivem ao progresso, mas principalmente os domésticos (urbanos),que ficam largados, fechados, abandonados.

Cidade ecológica não se faz apenas com metragem adequada de área verde, mas acima de tudo, com bom entrosamento das pessoas na busca de metas e objetivos comuns, para tornar a vida mais saudável e com maior qualidade, principalmente com mais dignidade e respeito ao direito do outro.

  


Acredito que estes sejam os principais questionamentos. Fique à vontade para inserir mais dados que considere importantes/interessantes.

Lembramos que uma cidade não é criada nem descoberta, mas sim aberta e lançada ao seu destino e que são as pessoas que vão a cada dia dedalhando por meio de seus sonhos, as curvas das ruas e avenidas, dos cantos e recantos, onde vão deixando em cada experiência sua esperança de um dia chegarmos a sermos um ponto de  ligação do passado com o presente onde o futuro não está para vir, mas é aquele que se vive a cada dia, com harmonia e boa convivência entre todos que nela vivem. 

 

Respostas de: Carlos Alberto Arraes- Presidente da ONG CDPEMA- Comissão de Defesa e Preservação da Espécie e do Meio Ambiente. Presente na cidade desde 1993. em atividade desde 1977.  site: www.cdpema.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CDPEMA- Comissão de Defesa e Preservação da Espécie e do Meio Ambiente

São Paulo, Guarulhos – Presidente Prudente – Manaus  

Emails: cdpema@terra.com.br  e  cdpemaguarulhos@terra.com.br  SITE: WWW.CDPEMA.COM.BR

Autor / Fonte: Carlos A Arraes
« voltar
 
     
 
© 2010 C.D.P.E.M.A. - Todos os direitos reservados
Melhor visualizado em 1024px / 768px
Desenvolvido por:
MWAY - Soluções Dinâmicas Web
& MarkCerto